Fundación Quiera

Apoia organizações que protegem os direitos de crianças
e jovens em situação de vulnerabilidade

Fundación Quiera

Apoia organizações que protegem os direitos de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade

México / Fundações

img1 (22).jpg

A Fundação Quiera, da Associação de Bancos do México, A.C, apoia organizações que trabalham para o desenvolvimento integral de crianças e jovens em situação de rua ou risco de rua, por meio de seu Modelo de Fortalecimento Institucional. Esse é o caso da Fundação Pro Niños de la Calle, que opera um modelo educacional voltado para a reintegração de menores na sociedade e para a mudança da organização familiar de tal forma a prevenir a situação de rua.

quiera.png
 

Antecedentes e contexto

Um terço da população do México são crianças e jovens, dos quais 51,1% vivem em condições de pobreza¹, um problema de caráter estrutural e generalizado em quase todo o território nacional.

Esse grupo populacional enfrenta o risco de se tornar morador de rua ou já está nessa situação – um problema enraizado nas desigualdades sociais, econômicas, de gênero e jurídicas. Os fluxos migratórios de menores desacompanhados, o abandono familiar e a violência doméstica agravam esse problema. E as crianças e jovens em situação de rua estão expostos à discriminação social, o uso de drogas, à exploração do trabalho infantil e adolescente, à prostituição, ao assédio policial e ao crime, entre outras ameaças².

O México ratificou a Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança (CDC) e, em 2014, foi promulgada a Lei Geral dos Direitos da Criança e do Adolescente³. No entanto, dados recentes de organizações não governamentais indicam que, apenas na Cidade do México, há mais de 20.000 crianças em situação de abandono ou ⁴ e a evolução de seus costumes e usos fez com que perdessem visibilidade social.

A Fundação Quiera, o braço social da Associação de Bancos do México (ABM), decidiu apoiar e fortalecer a Fundação Pro Niños para enfrentar o problema das crianças e jovens em situação de rua ou risco de rua.

Nesse contexto, a Fundação Quiera, o braço social da Associação de Bancos do México (ABM), decidiu apoiar e fortalecer a Fundação Pro Niños para enfrentar o problema das crianças e jovens em situação de rua ou risco de rua na Cidade do México e no estado do México, através de seu modelo educacional, composto por três programas: De la Calle a la Esperanza (Da Rua à Esperança), Casas de Transición a la Vida Independiente (Casas de Transição à Vida Independente) e Atención a las Familias (Atendimento às Famílias).

¹ Unicef, (2019), Informe anual 2019: Unicef México. Disponivel em
² Becerra, A., (2015). Reporte Temático Número 4, Trabajo Infantil en México. Cámara de Diputados LIX Legislatura. Disponivel em
³ Comissão Nacional de Direitos Humanos, CNDH, México, (2020). Los derechos de las niñas y niños. Disponivel em
⁴ Fundación Pro Niños, (2020). Niños, niñas, adolescentes y jóvenes en situaciones de calle: Elementos para repensar las formas de intervención. Fundación Pro Niños. Disponivel em

foto1 (3)24.jpg
 

Descrição

A Fundação Quiera foi criada em 1993 com a finalidade de que os bancos tivessem, como associação de classe, um braço social que contribuísse para a sustentabilidade institucional das organizações com propósito social (OPS) que trabalham com crianças e jovens em situação de rua ou de risco.

Desde sua criação, a Fundação Quiera estabeleceu que os principais desafios para enfrentar e visibilizar o problema da infância e juventude em situação de rua não residiam na falta de iniciativas, mas na necessidade de desenvolver habilidades e competências nas instituições que enfrentam o problema. Por isso, elaborou um esquema de trabalho focado no acompanhamento institucional, personalizado e de longo prazo (em média 16 anos) de organizações que trabalham com essa população. E as agrupou na Rede de Instituições Fortalecidas pela Quiera (IFQ).

Fundação Quiera elaborou um esquema de trabalho focado no acompanhamento institucional, personalizado e de longo prazo (em média 16 anos) de organizações que trabalham com essa população.

Um caso emblemático dessa intervenção é a Fundação Pro Niños, organização que nasceu em 1993 com o propósito de atender crianças e jovens (de 8 a 21 anos) em situação de rua ou risco de rua. A fundação entrou no Programa de Fortalecimento da Fundação Quiera em 1996 e recebeu acompanhamento contínuo por mais de duas décadas. Em 2020, estava na fase de “graduação de curso”, o que significa que estava se preparando para iniciar uma estratégia de saída, a partir da elaboração de um plano sob medida, adaptado às próprias necessidades.

A Fundação Pró Niños baseia sua intervenção em um modelo educacional focado na restituição de direitos humanos, no desenvolvimento de habilidades para a vida e no exercício de processos de participação que possibilitem que crianças, jovens e suas famílias transformem as próprias condições de vida. A intervenção oferece atendimento integral a crianças e jovens, incluindo acompanhamento personalizado, saúde, educação, recreação, formação artística, formação profissionalizante e desenvolvimento de habilidades socioemocionais, entre outros serviços.

foto2 (4)24.jpg
 

Implementação

As organizações apoiadas pela fundação, especificamente aquelas que oferecem abrigo para crianças e jovens em situação de risco de rua, recebem financiamento e acompanhamento para desenvolver capacidades que permitam melhorar seu impacto social.

Financiamento personalizado

O apoio financeiro prestado à Fundação Pro Niños aumentou a cada etapa de acompanhamento. A primeira fase durou três anos e focou nas necessidades da organização, com uma doação de US$ 52.916. Durante a segunda fase, de dez anos, foram apoiados projetos específicos por um total de US$ 182.331. Na terceira fase, também de dez anos e focada no esforço de articulação da organização, um processo de fortalecimento institucional mais pontual obteve uma doação de US$ 248.340.

A IFQ aporta um co-investimento mínimo de 30% diretamente ou através de outros doadores. 5% podem ser destinados às despesas administrativas e até 15%, a salários. O valor agregado de trabalhar dessa forma é a implementação de um modelo estratégico de investimento social que assegura um fortalecimento institucional viável, relevante e evolutivo⁵.

As organizações apoiadas pela fundação recebem financiamento e acompanhamento para desenvolver capacidades que permitam melhorar seu impacto social.

Desde 1996, a Fundação Pro Niños se utiliza do apoio financeiro da Quiera para a sistematização e operação do modelo de intervenção dos programas De la Calle a la Esperanza e Casa de Transición a la Vida Independiente. Além disso, destinou parte desses recursos para a concessão de bolsas e a promoção de outros projetos, como oficinas de verão e uma iniciativa de atendimento à saúde mental.

Devido à conjuntura da COVID-19, foi financiada uma área de inovação educacional com o objetivo de reduzir a evasão escolar. Os recursos para esse tipo de intervenção são rotulados por objetivos, facilitando o processo de acompanhamento das doações e a detecção precoce de novas necessidades.

Apoio não financeiro

O processo de colaboração entre as Fundações Quiera e Pro Niños parte de um planejamento plurianual baseado em um diagnóstico institucional realizado pela Fundação Quiera. Esse diagnóstico permite a classificação da OPS de acordo com seu nível de maturidade institucional, além de determinar as características e necessidades particulares da intervenção.

Um dos principais apoios oferecidos pela Fundação Quiera é o fornecimento de recursos intelectuais através de parcerias. Em particular, as trocas com outras organizações têm sido cruciais para o fortalecimento de habilidades e competências e a consolidação estratégica da OPS. Segundo Carmela Pírez, Diretora Geral da Fundação Quiera, gerar “laços humanos que se tornam institucionais (...) faz a diferença no investimento social.”

A Quiera articula esforços graças à facilitação de processos de comunicação, bem como de encontros com parceiros. A Fundação Juconi México, A.C., por exemplo, prestou serviços de treinamento à Fundação Pro Niños para desenvolver nas famílias a capacidade de criar laços afetivos que gerem segurança em crianças e jovens.

A Quiera articula esforços graças à facilitação de processos de comunicação, bem como de encontros com parceiros.

A Fundação Pro Niños também recebeu mentorias sobre liderança para coordenadores e gerentes de nível médio. Além disso, e sendo a saúde mental um dos temas de maior interesse para a Quiera, e sob o lema de “cuidar de quem cuida de nós”, recentemente foi disponibilizada à IFQ uma rede de psicólogos e prestadores de serviços profissionais que oferecem assistência no atendimento das necessidades de profissionalização e melhoria do clima de trabalho. Por exemplo, foi divulgado um manual sobre como lidar com o estresse pós-traumático.

⁵ Fundación Quiera, (2019). Fortalecer para reinsertar: Informe Anual de Sostenibilidad 2019. Fundación Quiera. Disponivel em

foto3 (2)24.jpg

"É como um elevador, você entra e ele te leva muito rápido, mais longe do que você esperava, o caminho poderia ter sido mais árduo sem a Quiera".


Laura Alvarado

Diretora Geral da Fundação Pro Niños de la Calle.

 

Resultados

Algumas das mudanças importantes que a Fundação Pro Niños observou como consequência da intervenção da Fundação Quiera foram:

  1. Passou-se de não ter uma metodologia de intervenção sistematizada, para a situação atual que conta com ferramentas que respondem à conformação de uma visão estratégica, abrangente e de longo prazo.

  2. Incorporação de uma prática de avaliação de resultados.

  3. Receitas maiores do que os gastos anuais, de tal forma que seu fundo patrimonial está crescendo ano após ano (atualmente equivale a um ano de operação).

  4. A organização atualmente trabalha com agências como a UNESCO.

 

Entre 2000 e 2018, a Fundação Pro Niños atendeu 3.551 crianças e jovens através de seus programas. Em 2019, atendeu 307 crianças e jovens.

foto4 (2)24.jpg
 

Aprendizados e perspectivas

A Fundação Quiera aprendeu que o modelo de acompanhamento deve se adaptar às particularidades de cada IFQ apoiada. Por esse motivo, as intervenções não estiveram isentas de desafios. Um deles é o contexto social atual do país, onde fortes problemas estruturais, como o tráfico de pessoas e o crime organizado, aumentam as chances de crianças e jovens caírem em situações de alta vulnerabilidade.

A Fundação Quiera acredita que o fortalecimento das instituições às vezes é menos valorizado do que as respostas assistenciais, o que gera resistências no setor.

Um dos grandes desafios enfrentados pela Fundação Quiera é a mudança da Presidência do Conselho a cada dois anos, pois isso pode causar situações de incerteza quanto à continuidade dos projetos.

A Fundação Quiera considera que o aprendizado é um processo chave e de caráter contínuo. A partir de cada experiência, são obtidos valiosos aprendizados mútuos que são aplicados a futuras intervenções. As boas práticas são adaptadas; as áreas de oportunidade são estudadas e melhoradas.

Diante desses desafios, a Fundação Quiera definiu como objetivo calibrar seus apoios de acordo com o contexto, destacar a importância do fortalecimento institucional, demonstrando os resultados alcançados, e acompanhar de perto as IFQs para planejar a longo prazo. Além disso, conseguiu superar os problemas de governança interna, tendo como eixo norteador seu objetivo central e fortalecendo continuamente sua visão estratégica.

A Fundação Pro Niños considera que a principal vantagem de uma estrutura de fortalecimento de longo prazo é poder desenvolver uma visão estratégica sólida dentro da organização. Isso, por sua vez, permite implementar uma melhor estrutura interna, que esteja preparada para enfrentar diferentes cenários e assegure a perenidade de suas intervenções.

foto524.jpg