img-section2.jpg

1 Os nomes das 12 pessoas que compõem o Comité de Peritos podem ser consultados na secção de agradecimentos.

Para desenvolver o relatório, foi utilizada uma metodologia qualitativa baseada em pesquisas de fontes secundárias e na realização de entrevistas tanto com atores envolvidos em iniciativas de investimento para impacto, quanto com especialistas1 regionais em filantropia, investimento social e investimento de impacto. Além disso, com o apoio de um Comitê de Especialistas, foram selecionados 37 casos da região que participaram de uma pesquisa detalhada que girou em torno dos pilares do investimento para impacto, com o objetivo de caracterizar e identificar padrões nessas iniciativas.

A metodologia

Grafica-1_pt (2).png
Para realizar este trabalho, a Latimpacto contratou três organizações de consultoria especializadas no tema e conhecedoras dos principais países objeto do estudo: a Pipe Social no Brasil, a Compartamos con Colombia na Colômbia e a Ethos Laboratorio de Políticas Públicas no México. Com essas 3 empresas, a pesquisa começou em março de 2020 e terminou em novembro do mesmo ano.

O trabalho foi realizado em três fases:

1

Reconhecimento dos ecossistemas de cada país, mapeamento e pré-seleção de casos

Essa primeira fase concentrou-se no reconhecimento dos atores mais destacados em matéria de investimento para impacto nos principais países deste estudo: Brasil, Colômbia e México. Com base no conhecimento prévio das equipes de consultoria nesses países e depois de várias entrevistas com diferentes atores, foram mapeadas cerca de 120 iniciativas lideradas por investidores para impacto na região, das quais 68 foram pré-selecionadas e posteriormente validadas pelo Comitê de Especialistas. Em paralelo, foram conduzidas entrevistas com conhecedores do setor social da Argentina, Chile, Guatemala e Peru, para reconhecer esses ecossistemas e identificar atores e casos relevantes nesses territórios.

Para a pré-seleção desses casos, além do cumprimento dos pilares do investimento para impacto – financiamento personalizado, apoio não financeiro, gestão e medição do impacto –, foram levados em consideração critérios como localização, buscando casos representativos da geografia de cada um dos países, e vigência, para escolher iniciativas em execução no momento do estudo ou concluídas recentemente e em que, idealmente, o investidor para impacto estivesse oferecendo uma resposta à pandemia da COVID-19.

Foi proposto que os casos destacados deveriam ser liderados por organizações provedoras de capital – financeiro, humano ou intelectual –, e enquadradas em um dos seguintes sete silos:

  • Fundações

  • Corporações e empresas com programas de investimento social

  • Instituições financeiras como bancos e gestoras de ativos de impacto social ou ambiental

  • Family offices e indivíduos de alto patrimônio líquido (High Net Worth Individuals - HNWI)

  • Instituições acadêmicas e think tanks (laboratórios de ideias)

  • Setor público e instituições multilaterais

  • Consultorias que prestam serviços ao setor social e/ou ambiental

Depois da pré-seleção e da compilação dos primeiros achados nos ecossistemas de cada país, foram apresentados os avanços obtidos, sobretudo nos três principais países desta pesquisa, ao Comitê de Especialistas com o objetivo de que fossem selecionados os casos finais e complementados os achados iniciais de cada país do estudo. Nessa seleção final, os critérios de maior peso foram a sustentabilidade financeira, a inovação social, o potencial de replicabilidade, a representatividade no silo ao qual a organização promotora pertencia, a participação de outros atores sociais na iniciativa e a resposta à COVID-19.

Documentação de casos regionais e relatórios dos países

No processo de seleção realizado junto com o Comitê de Especialistas, foram identificados 37 casos: 11 na Colômbia, 10 no Brasil, 8 no México e 2 por país na Guatemala, na Argentina, no Chile e no Peru.

A prioridade foi dada a Brasil, Colômbia e México por serem os países onde os ecossistemas estão mais consolidados. Também foram incluídos casos de Argentina, Chile, Guatemala e Peru para contar com um melhor panorama regional.

As equipes de consultoria trabalharam na documentação dessas iniciativas, buscando ilustrar a execução de um processo regido pelos princípios do investimento para impacto e ser fonte de inspiração para sua replicabilidade ou para o aprendizado de outros atores do ecossistema.

Desta forma, a construção dos casos contemplou a seguinte estrutura:

  • Um infográfico inicial que mostra os principais detalhes do caso.

  • Uma exposição dos antecedentes e do contexto em que a iniciativa está se desenvolvendo para entender o problema que se pretende solucionar.

  • Uma descrição do investidor para impacto e da iniciativa, a fim de identificar com maior clareza as motivações para enfrentar esse problema;

  • Os detalhes do financiamento personalizado oferecido à organização de propósito social.

  • Uma descrição detalhada do apoio não financeiro oferecido, por entender que esse aspecto é fundamental para o sucesso das intervenções de investimento para impacto.

  • Os resultados e o impacto até o presente momento (primeiro semestre de 2020), explicando como são mensurados.

  • Os aprendizados e desafios enfrentados por essas experiências, que possam trazer luz para outros atores do ecossistema.

Como já foi mencionado, os investidores para impacto que lideram esses casos conduziram uma pesquisa visando aprofundar os achados com dados complementares relevantes, essencialmente sobre o cumprimento dos princípios do investimento para impacto e seu modelo de operação.

Após o processo de documentação dos casos, cada um deles foi compartilhado com as organizações promotoras ou seus líderes, com o objetivo de validar as informações dessas intervenções.

Além da documentação dos casos, as equipes de consultoria redigiram relatórios sobre cada um dos três países, os quais foram a principal fonte de informação para a elaboração deste relatório regional. Durante todo esse processo, foram conduzidas entrevistas com 187 pessoas de toda a região, pertencentes a 120 organizações, cobrindo todo o contínuo de capital.

2

3

Realização do relatório regional

Finalmente, a equipe da Compartamos con Colombia, como líder das equipes de consultoria, analisou os casos selecionados e os relatórios de país com o propósito de consolidar, junto com a equipe da Latimpacto, este relatório regional. Ele compila as 37 iniciativas selecionadas e os achados e desafios para o investimento para impacto na América Latina.