Glossário

Apoio não financeiro: Serviços oferecidos às organizações com propósito social para fortalecer sua gestão financeira, otimizar seu impacto e/ou melhorar sua resiliência organizacional.

Blended finance: Combinação de diferentes fontes de capital (filantrópico, público e/ou privado) a fim de mobilizar mais capital para o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Capital acionário: O montante que corresponde a um acionista da empresa. Representa a quantidade de dinheiro que seria devolvida aos acionistas se todos os ativos da empresa fossem liquidados e toda a dívida fosse paga. As ações da empresa são adquiridas a um determinado valor, esperando que se valorizem várias vezes para obter retornos sobre o investimento.

Capital catalítico: Dívida, capital, doação ou outros investimentos feitos por uma fundação, uma organização internacional ou um investidor social para mobilizar mais investimento oriundo do setor privado. Esse capital é caracterizado por ser paciente, flexível e mais tolerante ao risco.

Capital paciente: Investimento de longo prazo com poucas expectativas de retorno financeiro de curto prazo. O capital paciente requer que os investidores tenham muita tolerância ao risco, uma visão de longo prazo, que permita experimentar e testar hipóteses, e expectativas de rentabilidade inferiores às do mercado, mas também de um grande impacto social.

Capital de risco: Financiamento oferecido a empreendimentos em etapas iniciais.

Capital semente: Financiamento inicial de uma empresa, geralmente sob a forma de capital acionário.

Contínuo de capital: Diversos tipos de capital (humano, intelectual e financeiro), que vão da filantropia ao investimento tradicional e se diferenciam por suas expectativas de impacto, retorno e risco.

Contrato de Impacto Social (Social Impact Bond): Mecanismo de financiamento que funciona de forma semelhante a um título de dívida. Sua taxa de retorno está atrelada ao atingimento de um objetivo social ou ambiental. Esses títulos fazem parte do financiamento baseado em resultados e são mecanismos inovadores de financiamento para programas sociais.

Cooperação internacional: Ajuda voluntária de um país para outro, seja através de seu Estado, governo local ou organização.

Crowdequity: Mecanismo de financiamento coletivo, mediante o qual muitos investidores pequenos contribuem com recursos para uma empresa e recebem em troca capital acionário.

Crowdfunding: Forma de financiamento (empréstimos, doações ou outros tipos de investimentos) realizado por muitas pessoas físicas fazendo pequenos aportes.

Crowdlending: Mecanismo de financiamento coletivo, mediante o qual muitos investidores pequenos emprestam dinheiro.

Diligência devida: Mais conhecido como due diligence, é o processo que um investidor realiza para decidir se favorece com um investimento ou uma doação a uma organização com propósito social.

Dívida subordinada: Títulos de renda fixa que têm rentabilidade maior do que outros tipos de dívida, mas com maior risco associado, já que têm menor prioridade de pagamento no processo de cobrança.

Empresas prestadoras de serviços profissionais: Incluem as organizações que apoiam empreendedores (por exemplo, aceleradoras, incubadoras), construtoras de ecossistemas, consultorias etc.

Endowment: Ver fundo patrimonial.

Equity: Ver capital acionário.

Family office: Uma empresa que tem como objetivo administrar o patrimônio de uma família.

Fair trade: Sistema de certificação que garante o cumprimento de uma série de critérios socioambientais e econômicos por parte de um produtor ou empresa.

Financiamento personalizado: Seleção dos instrumentos financeiros mais adequados de acordo com o perfil do investidor para impacto e as necessidades da organização com propósito social. Podem ser doações, dívidas, capital acionário ou finanças híbridas.

Finanças híbridas: A aplicação de diferentes instrumentos financeiros (empréstimos, doações, capital acionário) para alcançar o melhor resultado em termos de retorno, impacto e risco. Alguns exemplos incluem notas conversíveis, mezzanine capital e doações recuperáveis.

Fintech: O uso da tecnologia para automatizar ou oferecer produtos e serviços financeiros.

Firmas de servicios profesionales: Incluyen organizaciones que apoyan a emprendedores (ej. aceleradoras, incubadoras), constructoras de ecosistemas, consultoras, etc.

Fundo de capital privado: Um veículo de investimento administrado por um gestor profissional (GP), em que é captado capital de investidores que visam rentabilidade financeira investindo diretamente em empresas que não estão listadas na bolsa de valores.

Fundo patrimonial: Estrutura jurídica que permite gerenciar recursos financeiros de acordo com um propósito e objetivos estabelecidos por seu criador ou doador.

Garantia: Contrato em que uma pessoa ou organização se compromete a reembolsar um credor se um devedor ficar inadimplente ou não atingir objetivos predefinidos.

GINI: Coeficiente usado por economistas para medir a desigualdade social em um país ou grupo.

Impact-first: Priorização do impacto social e/ou ambiental sobre o retorno financeiro.

Investimento de impacto: Investimentos realizados em empresas ou empreendimentos com a intenção de gerar retorno financeiro e impacto social ou ambiental.

Investimento para impacto: O investimento por impacto (venture philanthropy) é uma abordagem de investimento social que prioriza o impacto social e ambiental sobre o retorno financeiro.

Lean data: Ferramenta proposta e utilizada pela Acumen com o objetivo de medir o impacto socioambiental, utilizando tecnologias de baixo custo para coletar dados dos beneficiários.

Mezzanine capital: Instrumento financeiro que combina dívida subordinada com ações.

Multilaterales: Organizações sem fins lucrativos incorporadas com contribuições de vários países.

Nota conversível: Trata-se de uma dívida de curto prazo que é automaticamente convertida em ações preferenciais da empresa tomadora do empréstimo, uma vez que consegue levantar uma rodada de investimentos subsequente chamada de "Série A". Ou seja, o empreendimento recebe um empréstimo como financiamento inicial, mas em vez de pagar com juros ao investidor, paga com ações preferenciais da empresa dadas algumas condições específicas.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Um conjunto de metas sociais, ambientais e econômicas propostas pelas Nações Unidas.

Organização de propósito social (OPS): Organizações fundadas com uma missão social. Entre elas, estão empreendimentos sociais e organizações sem fins lucrativos.

Pagamentos por resultados: Acordos de financiamento nos quais os pagamentos estão condicionados à obtenção de resultados e/ou impactos sociais, verificados de forma independente.

Pagamentos por serviços ambientais: Incentivos financeiros oferecidos a um produtor, proprietário de terras ou comunidade em troca da proteção de um recurso natural que ofereça serviços ecológicos.

Pipeline: Série de negócios potenciais.

Private equity: Ver fundo de capital privado.

Sistema B: Organização que promove, certifica e apoia empresas de triplo impacto.

Startup: Empreendimento em etapa inicial.

Teoria da mudança: Metodologia que resume como uma organização busca gerar uma mudança social e/ou ambiental.

Terceiro setor: Sector económico compuesto por entidades sin ánimo de lucro.

Ticket: O valor de um investimento. Às vezes, são estabelecidos valores mínimos e máximos, bem como as possibilidades de obter vários valores em uma rodada de financiamento.

Título social: Instrumento de dívida emitido para financiar programas sociais.

Venture builder: Uma organização que se dedica a apoiar a construção de um novo empreendimento.

Venture capital: Ver capital de risco.

Venture philanthropy: Ver o investimento para impacto.

Abreviaturas

ANDE: Aspen Network of Development Entrepreneur.

ASG: Critérios ambientais, sociais e de governança corporativa utilizados por alguns investidores para avaliar um investimento.

AVPA: African Venture Philanthropy Alliance.

AVPN: Asian Venture Philanthropy Network.

BID: Banco Interamericano de Desenvolvimento.

BNDES: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil.

CEPAL: Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe.

CIS: Contratos de Impacto Social.

DANE: Departamento Administrativo Nacional de Estatística da Colômbia.

DPS: Departamento de Prosperidade Social da Colômbia.

ESG: Ver ASG.

EVPA: European Venture Philanthropy Association.

FIIMP: Fundações e Institutos de Impacto.

GIIN: The Global Impact Investing Network.

GIIRS: Global Impact Investing Rating System.

IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

INAES: Instituto Nacional de Economia Social do México.

INEI: Instituto Nacional de Estatística e Informática do Peru.

IRIS+: Impact Reporting and Investing Standards.

IVPC: International Venture Philanthropy Center.

OCDE: Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico.

ODS: Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

ONG: Organização não-governamental.

OPS: Organização de propósito social.

PME: Pequena e média empresa.

PPA: Plataforma Parceiros Pela Amazônia.

PRI: Principles for Responsible Investment.

SECO: State Secretariat for Economic Affairs (Cooperação Internacional Suíça).

SIBs.CO: Programa de Contratos de Impacto Social na Colômbia.

USAID: United States Agency for International Development.