Conexsus

Apoiando negócios comunitários para conservação dos biomas

Conexsus

Apoiando negócios comunitários para conservação dos biomas

Brasil / Consultoria

img1 (14).jpg

Conexsus apoia associações e cooperativas de pequenos agricultores inseridos em um modelo de produção que gera riqueza e conserva a floresta, e demais biomas, em pé. Faz isso de forma sistêmica, e em três eixos de atuação: modelagem de negócios, acesso a mercado e finanças de impacto.

conexsus.png
 

Antecedentes e contexto

Mais de 99% do desmatamento no Brasil é ilegal, segundo Relatório Anual de Desmatamento 2019 do MapBiomas. A Amazônia, como era de se esperar, tem o maior número de alertas de desmatamento – 83%, correspondentes a 63,2% da área total de desmatamento, seguida pelo Cerrado, com 13% dos alertas, porém 33,5% da área. Juntos, esses dois biomas, que são os mais bem monitorados no Brasil, representam 96,7% da área desmatada detectada em 2019.

A promoção de atividades econômicas sustentáveis no meio rural é chave para a redução do desmatamento ilegal e para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono que seja dinâmica e inclua as populações ribeirinhas, extrativistas e de agricultores familiares. Ao mesmo tempo, cada vez mais os consumidores vêm demandando produtos e modelos de produção que contribuam para a conservação de florestas e biomas e para a melhoria da qualidade de vida dessas populações.

Existem 1.447 negócios comunitários rurais e florestais mapeados que valorizam a sociobiodiversidade e produzem dentro desse modelo.

Nesse contexto, surge a Conexsus, uma organização sem fins lucrativos que trabalha para acelerar a transição para a economia de baixo carbono e fortalecer a resiliência territorial e climática por meio do desenvolvimento de negócios sustentáveis. A iniciativa, idealizada em 2016, começou sua operação em 2018, e conta hoje com 24 pessoas na equipe.

A promoção de atividades econômicas sustentáveis no meio rural é chave para a redução do desmatamento ilegal e para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono.

A criação da Conexsus vem de um processo de reflexão sobre os limites da filantropia convencional para o desenvolvimento de atividades produtivas sustentáveis. Apesar de décadas de investimento filantrópico aplicado em diversas organizações, dois problemas fundamentais persistem: poucos empreendimentos apoiados conseguem atingir a sustentabilidade financeira de longo prazo; e poucas vezes se conseguiu dar escala aos resultados de projetos piloto.

 

Descrição

A Conexsus conta com hubs em 5 cidades brasileiras: Belém, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, além de 2 hubs no exterior: Montpellier, na França e Palo Alto, nos Estados Unidos. A iniciativa se estrutura em três partes principais: Instituto Conexsus, Fundo Socioambiental Conexsus e Conexsus EUA.

pt_Conexsus - Descripción.png

A Conexsus é financiada por empresas brasileiras, fundações nacionais e internacionais e agências de cooperação internacional, como Fundo Vale, Good Energies, Moore Foundation, Natura, Instituto Humanize, Grupo Pão de Açúcar, USAID e Agência Alemã de Cooperação Internacional.

A organização atua em todo o território brasileiro, com forte presença na região amazônica. O escopo do trabalho varia de acordo com oportunidades de parcerias com atores locais e cadeias prioritárias (açaí, cacau e castanha do Brasil). Os programas de desenvolvimento duram até 2 anos e são operados pela Conexsus, com a participação das várias parcerias.

A organização também mantém cooperação formal com o Banco da Amazônia e atua muito próxima de outros agentes financeiros que operam o crédito rural. Futuramente, se espera consolidar uma aliança com um conjunto mais amplo de instituições financeiras.

Conexsus tiene como premisa que para preservar el bosque en pie es necesario activar los negocios de los agricultores rurales y comunidades extractivistas.

A Conexsus tem como premissa que para preservar a floresta em pé é preciso ativar os negócios de agricultores rurais e comunidades extrativistas, que são invisíveis, mas utilizam o rural e a biodiversidade para exercerem suas atividades produtivas sustentáveis. Os desafios enfrentados por esses negócios podem ser divididos em três naturezas:

  • Escassez de financiamento: os negócios comunitários, pela fragilidade na gestão e nos modelos de negócio, frequentemente não conseguem acessar crédito para financiar sua operação e escalonar pela falta de veículos financeiros adequados à suas realidades. E apesar de existirem programas governamentais de financiamento, poucos conseguem acessar.

  • Desconexão com mercado: de um lado, os negócios não conseguem atender grandes indústrias e varejo, seja pelos requisitos de qualidade, baixo volume, falta de frequência na oferta ou pela ausência de canais de distribuição adequados. Do outro, grandes compradores não possuem rastreabilidade da sua matéria prima e seus produtos. Costumam comprar de intermediários com certificação, mas não tomam conhecimento sobre de quem o intermediário está comprando.

  • Modelo de negócio pouco desenvolvido: a maioria das organizações e cooperativas rurais colocam muita energia na produção, mas, em geral, são pouco desenvolvidas em aspectos de comercialização, marketing e posicionamento no mercado.

"Não existem canais de comercialização estruturados. Esses negócios olham muito para a produção, mas tem dificuldade em visualizar como o mercado quer o produto. ”Por outro lado, o mercado precisa entender a realidade desses negócios e os vários aspectos culturais e sociais que fazem parte do produto que é entregue. Esses negócios entregam algo que vai além do produto, entregam uma história, aspectos da cultura e muita conservação".

Andrea Azevedo

Diretora de Desenvolvimento Institucional da Conexsus.

O desafio da Conexsus é conectar todos os atores do ecossistema de negócios em áreas florestais e rurais no Brasil: hoje, quem produz não está conectado com quem comercializa e nem com quem financia. Por conta disso, os negócios comunitários geram menos benefícios econômicos, sociais e ambientais do que poderiam.

 

Implementação

O diferencial da Conexsus é apoiar os negócios de maneira sistêmica, trabalhando de forma articulada em três pilares: desenvolvimento de negócios, acesso a mercado e novos mecanismos financeiros adequados à realidade dos negócios comunitários.

Financiamento personalizado

A Conexsus lançou um veículo financeiro, chamado Fundo Socioambiental Conexsus, que utiliza soluções financeiras híbridas, combinando recursos reembolsáveis e não-reembolsáveis, para facilitar o acesso ao crédito oficial e a programas de compras públicas. Esses instrumentos incluem:

pt_Conexsus - Implementación.png

E para que o acesso ao crédito ganhe escala, a Conexsus desenvolveu ainda uma rede de ativadores de crédito, que orientam extrativistas e agricultores familiares no planejamento e na obtenção de financiamentos rurais e na utilização responsável do crédito rural.

O desafio da Conexsus é conectar todos os atores do ecossistema de negócios em áreas florestais e rurais no Brasil: hoje, quem produz não está conectado com quem comercializa e nem com quem financia.

O plano é que a linha de garantias (como aval ao custeio e ao investimento) aconteça numa proporção maior no portfólio do fundo, pois tem uma alta capacidade de alavancagem (1:10) do crédito público subsidiado e pouco utilizado por esses negócios rurais de impacto. Contudo, com a pandemia Covid19, está focada em uma linha de crédito emergencial, pela necessidade do contexto, operando com empréstimos diretos para pagamento em até 24 meses, com carência de até 12 meses. Acompanhada a essa linha existe uma assistência à gestão do negócio, também de até 24 meses.

Apoio não financeiro

Os instrumentos financeiros vêm casados com assessoria técnica sobre estratégia, educação financeira e monitoramento dos resultados para os negócios. Por meio de apoio ao desenvolvimento dos negócios, a Conexsus busca viabilizá-los financeiramente. Isso inclui melhoria da capacidade de gestão, e da organização produtiva, fortalecimento da governança, geração de inteligência de mercado, diversificação e ampliação do acesso a mercados, habilitação dos negócios para acesso a crédito e disseminação do conhecimento para organizações parceiras e negócios comunitários apoiados.

Inicialmente é feito um plano de trabalho com cada organização, no qual um facilitador indica a necessidade de mentorias em temas específicos, quando necessário. Também há momentos de aprendizagem coletiva, quando coletivos também no processo, quando possível ou quando há assuntos convergentes, formando comunidades de aprendizagem.

Essa abordagem também leva em conta diferentes estágios de maturidade das organizações, que podem seguir ciclos de modelagem de negócios básicos ou jornadas de aceleração mais avançadas. Esse eixo é intrinsecamente conectado com os outros dois, de acesso a mercado e financiamento.

Além disso, há um importante eixo de acesso a mercado que busca conectar os negócios comunitários aos compradores da indústria e varejo. De um lado, a Conexsus apoia o desenho de novos arranjos de comercialização e ajuda os negócios a estruturarem seus planos de comercialização e vendas. Do outro lado, busca empresas de indústrias e varejo que querem se conectar aos negócios comunitários e tê-los dentro de seus portfólios de fornecedores.

A Conexsus apoia onexsus apoia o desenho de novos arranjos de comercialização e ajuda os negócios a estruturarem seus planos de comercialização e vendas.

Em 2020, a Conexsus também se juntou à União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), ao Conselho Nacional de Populações Extrativistas (CNS) e ao Fundo Vale para montar um Plano de Resposta Socioambiental aos impactos que a pandemia do novo coronavírus terá na economia das cooperativas, associações e pequenos negócios da agricultura familiar sustentável e do extrativismo. Além do crédito, também está sendo oferecida assessoria para fortalecimento da gestão administrativo-financeira das organizações e o destravamento do acesso às principais políticas de crédito público. O plano visa beneficiar 450 negócios comunitários em todo o Brasil, impactando diretamente 500 mil produtores familiares e extrativistas.

 

Resultados

Iniciada em 2018, a Conexsus já apresenta resultados interessantes. Foram 1.447 negócios comunitários rurais e florestais mapeados, tendo faturamento anual de R$ 1 bilhão.

No eixo de acesso a mercado, a Conexsus mapeou 250 empresas de todo o Brasil, das quais 82 foram cadastradas, que são potencialmente compradoras da produção dos negócios comunitários. As cadeias de alto impacto mais demandadas foram: açaí, pescado, castanha, algodão, madeira, cacau e fruticultura, com demandas nos setores de alimentação saudável, produtos de limpeza e ingredientes alimentícios.

Em relação ao Fundo, até 2019, a Conexsus investiu cerca de US$ 102 mil e, com isso, executou 17 protótipos que alavancaram cerca de US$ 500 mil (alavancagem de 1:5) de outros financiamentos, sobretudo do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) para extrativistas. Também investiu US$ 650 mil equivalente de apoio não financeiro, que inclui mentorias, capacitação, acesso a mercado e acesso a financiamento público. Para 2020, a previsão é que seja investido US$ 1,7 milhão em apoio financeiro e US$ 1,2 milhão em apoio não financeiro.

Foram 1.447 negócios comunitários rurais e florestais mapeados, tendo faturamento anual de R$ 1 bilhão.

Em 2020, o Fundo foi selecionado pela rede global de investidores Global Innovation Lab for Climate Finance como instrumento financeiro inovador para acelerar negócios comunitários e florestais. Também foi selecionada entre os 500 melhores projetos socioambientais da América Latina no Prêmio Latinoamérica Verde, e foi reconhecida como instrumento financeiro sustentável, em 2020, pelo Climate Policy Initiative (CPI).

 

Aprendizados e perspectivas

A Conexsus ainda não é uma organização sustentável financeiramente. Nesse sentido, a Venture Philanthropy tem papel fundamental para apoiar o Instituto nos programas de assessoria e capacitação, bem como no de fornecer capital não reembolsável para o Fundo.

O desenvolvimento das organizações e suas lideranças não pode ser isolado. Precisa ser contínuo e estar conectado com o objetivo de acessar mais mercados, para além do financiamento. De fato, somente será alcançado resultado significativo se atendidas as necessidades e expectativas das lideranças que gerenciam esses negócios.

O fornecimento de financiamento é muito importante, mas ainda é um meio. Ele alavanca a necessidade da assessoria e de performar mais próximo ao mercado.

A estratégia para chegar no desenho de mecanismos e atrair capital começou com o diálogo com atores estruturantes desse setor, como os bancos que operam crédito público para esse público. Foi através desses diálogos com bancos, e também com os negócios, que surgiu a ideia do fundo de aval e a rede de ativadores de crédito, que são formatos já conhecidos, mas não estavam sendo aplicados nesse contexto.

Esse formato de investimento potencializa o investimento público, com alavancagem de 1 para 10. Como é difícil um capital de impacto entrar direto nesse tipo de investimento, nesse momento é muito importante ter o investimento desse recurso filantrópico que busca o impacto e a sustentabilidade do sistema no médio e longo prazo. Isso ajuda a atrair dinheiro privado mais comercial no futuro.

"Não queremos inventar a roda, nem fazer nada que não seja compatível com a estrutura já existente, pois ela tem muito mais capacidade de escala".

Andrea Azevedo

Diretora de Desenvolvimento Institucional da Conexsus.