Fundação Arymax

Investimento social baseado em evidências

Fundação Arymax

Investimento social baseado em evidências

Brasil / Fundação

_MG_5164.jpg

A Fundação Arymax financia iniciativas e empreendimentos que favorecem a inclusão produtiva no mercado de trabalho de pessoas com deficiência em condições de vulnerabilidade econômica, seja por meio do empreendedorismo ou da empregabilidade. Interessa-se na construção e consolidação de uma cultura de avaliação de impacto no Brasil, fortalecendo as capacidades das organizações para desenvolver e executar esse tipo de avaliação, e contribuindo para a produção e divulgação de conhecimentos próprios e de terceiros, com o objetivo de realizar intervenções mais efetivas.

Captura de Pantalla 2022-10-06 a la(s) 12.06.39 p. m..png
 

Descrição Geral

A inclusão produtiva da população vulnerável no Brasil enfrenta desafios importantes. No final de 2021, foram atingidos níveis históricos de desemprego, ultrapassando 14,5%4. Além disso, a maioria das pessoas recém-empregadas não estão em um trabalho formal com carteira assinada. No fechamento de 2019, a taxa de informalidade na estrutura do mercado de trabalho brasileiro foi de 41,4%5. Por essa razão, a Fundação Arymax, fundação familiar fundada em 1990, concentra seus esforços em questões de inclusão produtiva.

 

Em 2015, a Fundação iniciou um rigoroso processo de definição de suas temáticas estratégicas em busca de um novo posicionamento baseado no uso de evidências para gerar impacto6. A inspiração para esse processo veio da consolidação dos movimentos de altruísmo efetivo e Venture Philanthropy. Esse processo foi pautado por três questionamentos orientadores: quais as causas que geram impacto relevante no Brasil, quais delas podem ser atendidas por meio da filantropia e quais vêm recebendo os menores níveis de investimento.

 

A Fundação Arymax reconhece o emprego decente como uma forma transcendental de contribuir para a inclusão econômica de pessoas vulneráveis, principalmente nos setores dos mercados mais promissores ligados às profissões do futuro. Para isso, investe em organizações que formam pessoas com habilidades socioemocionais e técnicas para entrar no mundo do trabalho e as conecta com oportunidades concretas de emprego7. Também financia iniciativas que trabalham em rede para favorecer o desenvolvimento de um ecossistema de inclusão produtiva, incentivando outros atores a adotarem essa agenda e a formarem redes, coalizões e parcerias que unam esforços.

 

A Fundação também atua em parceria com diversos agentes da sociedade, principalmente atores privados, para viabilizar iniciativas que ampliem o potencial de crescimento de pequenos empresários em áreas urbanas periféricas, bem como agricultores familiares e pequenos produtores rurais. Para isso, são combinados treinamento, consultoria e mentoria com acesso a novos mercados e capital para micro e pequenos empresários, produtores e agricultores.

 

Além disso, o apoio à comunidade judaica do país em termos financeiros, organizacionais e comunitários continua sendo um dos pilares fundamentais da Fundação. Assim, contribui para a formação em judaísmo, a promoção da convivência harmoniosa, o respeito à diversidade e para a divulgação da cultura e das tradições judaicas, visando a sua preservação e seu conhecimento na sociedade brasileira.


Esses três principais âmbitos de intervenção são regidos por seis princípios de filantropia estratégica que foram integrados em seu funcionamento8:

Captura de Pantalla 2022-09-27 a la(s) 3.55.48 p. m..png
Captura de Pantalla 2022-09-27 a la(s) 3.55.48 p. m..png
Captura de Pantalla 2022-09-27 a la(s) 3.55.48 p. m..png
Captura de Pantalla 2022-09-27 a la(s) 3.55.48 p. m..png
Captura de Pantalla 2022-09-27 a la(s) 3.55.48 p. m..png
Captura de Pantalla 2022-09-27 a la(s) 3.56.14 p. m..png

Intervenções baseadas em evidências: utilizando conhecimentos técnicos e científicos para gerar evidências que permitam identificar as estratégias mais eficientes e eficazes na geração de impacto social, bem como para selecionar as organizações mais qualificadas para implementá-las.

 

Continuo monitoramento e avaliação de todas as iniciativas que recebem financiamento, visando mensurar os resultados atingidos e identificar as estratégias que maximizam o impacto social gerado.

 

Investimentos imediatos e de médio prazo garantindo o financiamento de longo prazo e buscando abordar o problema e sua solução de forma integral.

 

Efeito demonstrativo: as iniciativas podem gerar tecnologias sociais exemplares, suscetíveis de serem divulgadas em todo o território brasileiro.

 

Apoio não financeiro: é uma das variáveis mais importantes, que consiste em um acompanhamento estreito das iniciativas financiadas, buscando ajudá-las a construir sua estratégia e a se conectarem com atores sociais relevantes para alavancar a iniciativa.

 

Integração do impacto, da sustentabilidade e da resiliência interligados de forma orgânica no apoio dado às organizações. O impacto é percebido como uma mudança social na população-alvo; a sustentabilidade financeira, como a garantia de que as organizações terão à disposição recursos suficientes para levar a cabo a sua missão social; e a resiliência, como a maturidade da organização em termos de governança e geração de recursos, entre outros aspectos.

Para financiar as iniciativas, a Fundação Arymax definiu três estratégias principais: o apoio a iniciativas de inclusão produtiva no país, a produção e divulgação do conhecimento no campo da inclusão produtiva —onde a construção e divulgação de conhecimentos e evidências sobre intervenções realizadas visando a inclusão produtiva da população vulnerável adquirem especial relevância —e o fortalecimento do ecossistema de impacto no Brasil. Essas estratégias se traduzem, por sua vez, em resultados que vão desde o desenvolvimento de empreendimentos sustentáveis, geradores de receitas e renda, e maior qualificação e acesso a empregos decentes para pessoas em condição de vulnerabilidade, até um ecossistema de investimentos mais amplo, com um maior número de mecanismos de apoio a iniciativas de inclusão produtiva. Isso possibilita contribuir para o propósito missionário da Fundação, que é a promoção do acesso estável e duradouro ao trabalho e à renda para a população em condição de vulnerabilidade no Brasil.

 

Finalmente, em termos de apoio não financeiro, a Fundação tem feito um esforço para concentrar seu acompanhamento nas organizações como um todo, em vez de se concentrar apenas nas iniciativas financiadas. Isso significa que o apoio prestado será amplamente flexível e adaptado às necessidades pontuais de cada organização. Além disso, a Fundação promove a construção de relações estreitas e transparentes com cada uma das organizações e iniciativas financiadas. Isso possibilita contribuir com cenários que vão desde as etapas finais da elaboração de uma iniciativa até o desenvolvimento de capacidades socioemocionais da equipe.

"Sempre dizemos a elas [organizações e iniciativas financiadas] que queremos ser mais do que

financiadores, queremos e buscamos ser parceiros. Quando eles precisam planejar alguma

coisa, sempre estamos dispostos a fazer isso."

 

Natalia Leme

Responsável pelas Parcerias Estratégicas e pelos Programas da Fundação Arymax.

 

4 Reuters (2021, 30 de junho). Desemprego no Brasil continua no recorde histórico de 14,7% no trimestre até abril [artigo]. Disponível aqui.

5 La República (2019, septiembre 28). La informalidad en el mercado laboral rompe récord en Brasil, según señaló IBGE [artículo]. Disponível aqui.

6 Fundação Arymax (n.d.) Inclusão produtiva. Disponível aqui.

7 Fundação Arymax, (N.D.). Filantropia estratégica: decisões inteligentes geram ações eficazes. Disponível aqui.

8 Fundação Arymax, (n.d.). Filantropia estratégica.

JOI Brasil.jpg

Aspectos Inovadores

 

Tanto os princípios descritos quanto os pilares da teoria da mudança9 da Fundação Arymax assumem especial relevância diante do profundo interesse da organização no acompanhamento, no monitoramento e na avaliação do impacto como estratégia determinante na construção de intervenções que efetivamente abordem a inclusão produtiva no Brasil. Para isso, a Fundação apoia iniciativas voltadas à produção e divulgação de conhecimentos sobre inclusão produtiva que permitam identificar áreas e oportunidades para empreender, bem como setores e tendências promissoras para a geração de emprego.Dessa forma, a Arymax vem contribuindo para a ampliação do conhecimento sobre as oportunidades de geração de empreendimentos e para o diagnóstico de setores e tendências em matéria de emprego. Isso vem acontecendo principalmente a partir do relacionamento que a Fundação Arymax estabeleceu com o J-PAL LAC.10 Alavancada financeiramente pela Fundação Arymax e apoiada mediante intervenções de organizações como a B3 Social, a Potência Ventures, o Banco Interamericano de Desenvolvimento, a Fundação Tide Setúbal e o Insper, esta organização lançou a Iniciativa Empregos e Oportunidades no Brasil (Jobs and Opportunity Initiative ou, por suas siglas em inglês, JOI) com o objetivo de avaliar estratégias inovadoras capazes de abordar os desafios mais urgentes do mercado de trabalho no país.

 

Essa iniciativa foi lançada no Brasil em 2021 com uma duração prevista de cinco anos. Os fundos que formam parte dela, nos quais a Fundação Arymax tem uma participação, serão destinados, em primeiro lugar, a financiar pesquisas de impacto que apliquem instrumentos rigorosos de avaliação das intervenções públicas e privadas para a geração de oportunidades de emprego no Brasil.

"O mais importante é que possamos realizar ações em conjunto e agrupar problemas públicos e privados a fim de ajudar os governos e as grandes organizações a definir e tomar decisões certas quanto ao que efetivamente gera impacto no âmbito da inclusão produtiva e, assim, melhorar significativamente os indicadores de inclusão produtiva e inserção de pessoas no mercado de trabalho no Brasil, e que isso possa servir de referência para outros países com o mesmo desafio na América Latina".

Vivianne Naigeborin

Diretora Executiva da Fundação Arymax.

Em segundo lugar, a JOI promove um processo de incubação social que busca capacitar formuladores de políticas públicas e projetos, assim como os responsáveis pela sua implementação. Seu objetivo é apoiar organizações que trabalham em questões de inclusão produtiva a desenvolver uma cultura de gestão e medição de impacto, visando contar com mais evidências sobre o que funciona e não funciona, e do que tem potencial para ser replicado ou ter a sua escala ampliada. Mediante três etapas gratuitas, o processo fornece informações, desenvolvimento e aplicação de capacidades e assistência técnica personalizada para os responsáveis pela implementação das intervenções. Dessa forma, é possível avançar na consolidação de uma cultura de avaliação.

 

A JOI também oferece apoio técnico e financeiro a pesquisadores brasileiros que se focam em diversos âmbitos da inclusão produtiva.

 

Em suma, mesmo em um cenário onde as organizações acompanhadas recebem financiamento para o desenvolvimento pormenorizado das melhorias identificadas, esse exercício de incubação permite desenvolvimento e a implementação de capacidades de monitoramento, acompanhamento e avaliação do impacto no interior das próprias organizações.

"O J-PAL utiliza avaliações de impacto não apenas para identificar quais políticas funcionam, mas também para fazer parcerias com organizações que estão implementando projetos, a fim de que esse conhecimento construído na academia possa ser levado às organizações para fortalecê-las"

Paula Pedro

Diretora Ejecutiva da JPAL LAC

Por outro lado, devido à centralidade que representa para a Fundação Arymax a disponibilidade de mecanismos que permitam o acompanhamento e monitoramento constantes do impacto gerado por projetos, iniciativas e organizações financiadas, a própria Fundação possui indicadores comuns que derivam da teoria da mudança. Também conta com a sua própria plataforma de relatórios, onde as organizações financiadas devem registrar métricas de desempenho para cada um dos indicadores fornecidos. Essa plataforma foi construída em conjunto com a Vera Solutions, que desenvolveu o software que armazena as informações. A plataforma de monitoramento representa, em suma, um dos principais instrumentos de apoio não financeiro para as organizações, na medida em que se estabelece como mecanismo de consulta, fonte de relatórios e refinamento das intervenções executadas.

 

A plataforma, por sua vez, tem utilidade dupla. Por um lado, os indicadores permitem que as organizações tenham um norte compartilhado de forma homogênea, facilitando o acompanhamento de suas próprias intervenções por terem acesso contínuo a eles. Por outro, a Arymax tem o controle exclusivo sobre essa plataforma, com a qual são elaboradas diferentes análises e relatórios que, por sua vez, são compartilhados com os cofinanciadores das iniciativas, dos projetos e dos programas financiados, facilitando o acompanhamento de cada um deles. Através dessa plataforma, a Fundação faz o acompanhamento e monitoramento de mais de 40 indicadores, destacando-se o aumento do nível de renda das pessoas que frequentam os cursos de capacitação e conseguem um emprego ou desenvolvem seu negócio, o grau de formalização e o perfil da população em condição de vulnerabilidade econômica inserida no mercado de trabalho.

9 Fundação Arymax (n.d.) Inclusão produtiva. Disponível aqui. 

10 J-PAL LAC é um centro de pesquisa que visa reduzir a pobreza e melhorar a qualidade de vida dos habitantes da América Latina e do Caribe (e das demais regiões onde tem presença), criando evidências das iniciativas que funcionam. Estudiosos afiliados ao J-PAL medem o impacto dos programas por meio de avaliações aleatórias, buscando utilizar os aprendizados para influenciar a formulação de políticas públicas.

 
_MG_6901.jpg

Aprendizados

O relacionamento que a Fundação Arymax estabeleceu com o J-PAL mostra a importância que tem para ambos a formação de parcerias estratégicas com diferentes setores, tais como a academia, fundos de investimento de impacto e organismos multilaterais, que permitam a ampliação do ecossistema para a inclusão produtiva no país. Consequentemente, a JOI se estabeleceu como uma plataforma de integração de diferentes cofinanciadores. Além disso, algumas dessas organizações participam das atividades dos comitês gestores que acompanham a implementação das iniciativas e onde são elaboradas recomendações para o desenvolvimento de processos e a gestão de comunicações para o posicionamento das iniciativas e da própria fundação.

 

Em segundo lugar, a Fundação evidenciou, por um lado, uma ampla receptividade à atuação da JOI no Brasil, por ser considerada uma iniciativa que concede financiamento e fornece apoio técnico, principalmente no contexto de atividades de incubação. Porém, a Arymax também identificou a existênciade dificuldades que as organizações enfrentam ao realizar avaliações de impacto para seus projetos, programas ou intervenções. Essas dificuldades se devem principalmente à falta de financiamento para o desenvolvimento de áreas responsáveis por essa função, ou para a contratação de pessoal externo para realizar essas avaliações, ao passo que as possibilidades de treinamento em habilidades desse tipo são escassas.

 

Em terceiro lugar, a Arymax possibilitou o fortalecimento do ecossistema de inclusão produtiva no Brasil e a integração de práticas eficientes e robustas de medição de impacto em todas as iniciativas apoiadas. Isso foi possível graças à consolidação de parcerias com atores institucionalizados nesse campo de atuação, como o J-PAL, organizações públicas e privadas e o governo nacional, alcançada principalmente através de práticas de geração e socialização de intervenções eficientes para mudar de forma positiva o panorama da inclusão produtiva no Brasil. Com isso, a Fundação espera que, dentro de cinco anos, o ecossistema de inclusão produtiva no Brasil abrace com adequação a cultura da avaliação, conectando indicadores e resultados baseados em evidências e apoiando os setores público e privado para tomar decisões com base nos achados das diferentes avaliações de impacto implementadas no campo, de tal forma que possa ser ampliada a inserção de pessoas em condição de vulnerabilidade no mercado de trabalho brasileiro.

 

Por fim, o estabelecimento de parcerias com foco estratégico nos setores acadêmico, governamental e empresarial contribui decisivamente para a divulgação do conhecimento e a consolidação de uma rede de apoio que não se limite às iniciativas próprias, mas que possibilite a interação entre diversos setores e interesses. A construção dessas interações vem sendo especialmente relevante para apoiar a qualificação de pessoas e organizações em um amplo núcleo de capacidades, bem como para divulgar oportunidades de cofinanciamento no caso dos empreendedores.